KITANA / TRANS* – 18 ANOS / TIROS / SE, ARACAJU

De: ASTRA LGBT [mailto:astraglbt@gmail.com]
Enviada em: domingo, 2 de março de 2014 23:16
Para:  ABGLT AFILIADAS; Luiz Mott; Marcelo Cerqueira;
Assunto: Assasinato de Travesti em Aracaju

 

Prezad@s,

 

Aracaju teve nesta sexta inicio de carnaval uma assassinato de uma travesti na zona norte de Aracaju ,famosa entre nossa comunidade trans Kitana foi assassinada com três tiros na cabeça em um bar próximo a um fluxo de prostituição.

Transfobia  sim mais foi a transfobia do assassino que matou Kitana?

Não .conheci Kitana ainda adolescente pois tinha em base minha idade quando a mesma ainda sem assumir sua identidade de gênero estava chegando a uma reunião com Gibaldo n antigo grupo Dialogay ,pouco depois ela expulsa por seu pai de casa iniciou ai uma historia próxima de muitas trans e no caso Kitana foi vivido intensamente o instinto de revolta pela exclusão que lhe levou a marginalidade,após anos de delitos ,cafetinagem no meio das travestis    Kitana esteve presa algum tempo e estava solta  mais ou menos a seis meses e no meu ultimo contato com ela após denuncias na sede da Astra de cafetinagem e extorsão dela com as travestis ,ela em um dos pontos de prostituição me disse que sabia que o destino dela era presa ou morta pois a vida sempre teve ela como algo ruim,como alguém indesejável,me perguntou se depois do que ela passou na cadeia onde por ser travesti ela escutava que  aquilo que os detentos faziam com ela era bem feito por ela escolher estar la de mulher eu queria que ela fosse procurar um emprego e com os olhos cheios de lagrimas disse que morrer era algo que ela não se importava pois sabia que não faria falta pra sociedade.

Ver ela como nessa foto me chocou e me deixou quase sem carnaval mais me fez refletir e quis compartilhar com vocês a transfobia neste assassinato esta no assassino que atirou em Kitana ou na conjuntura de sociedade que assassinou a cidadania de Kitana ainda com seus 18 anos?

 

Tathiane Araujo

 

3 - kitana