SORAIA M. LEMOS / ESTUDANTE – 17 ANOS / TIROS / RJ, RIO DE JANEIRO

Namorada de jovem assassinada nega reação a assalto: ‘é cruel pelo prazer que teve de tirar uma vida’… Nicole da Silva diz ter entregado o celular sem reagir ao assalto… –

A namorada de Soraia de 17 anos baleada na cabeça durante um roubo de celular, negou que elas tenham reagido ao assalto que terminou com a morte da estudante na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro. Nicole contou que ela e Soraia tinham acabado de sair de casa quando foram abordadas por dois homens em uma moto. O caso ocorreu a 300 m da escola da vítima. Ela relatou que a dupla chegou puxando o celular do bolso da namorada.

Nicole disse que os dois criminosos as ameaçavam de morte e xingavam o tempo todo. “Eles ficaram falando que a gente ia morrer, ia morrer, ia morrer”, lembra. Nicole diz ainda que não esboçou reação e entregou o celular, mas que, mesmo assim, ao deixar o local, o assaltante na garupa da moto –o único armado– atirou em Soraia.

“A última palavra dela foi me chamar de amor. É desesperador, é cruel, o prazer que ele teve de tirar uma vida”….

“Eu ajoelhei, ela virou pra mim caída e só falou ‘amor’. Em todo momento ela estava respirando, estava me escutando, mas não respondia”, contou Nicole.

Segundo a sobrevivente, momentos antes de serem abordadas, Soraia pediu que ela nunca a abandonasse.

 

LATROCINIO CONTRA LGBT É SEMPRE CRIME HOMOFÓBICO !

Pois os assassinos acreditam que o LGBT é fraco, frágil, presa fácil; que a polícia não vai investigar porque é homossexual; que a justiça não vai condenar porque gay ou Lésbica  e é sempre culpam a vítima, etc.
Depois de já ter entregue o produto do roubo (um celular) foi covardemente assassinada com um tiro na cabeça a sangue frio, foram xingadas e ameaçadas durante todo o tempo da ação, “eles ficaram falando que a gente ia morrer, ia morrer, ia morrer”, como sempre de praxe, estarão negando o caráter da homofobia cultural em crimes como este, é realmente prova de ignorância e preconceito. Punição exemplar para os assassinos.

Nunca é roubo seguido de morte, é sempre morte seguida de saque. Porque crimes contra LGBTs nunca recebem atenção da polícia, o que permite que o assassino escape de ser preso se mascarar o crime como latrocínio.

A homofobia cultural e a hipocrisia social devem sempre ser desmascaradas.

noticias.uol    g1.globo     extra.globo     odia.ig

Anúncios