Deixe um comentário

Caso Verônica Bolina

001

Por: Dimitri Sales

Na tarde de hoje, na qualidade de presidentes do Instituto Latino Americano de Direitos Humos (ILADH) e da Associação Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Transexuais (CAIS), organizações da sociedade civil sem fins lucrativos, que possuem a missão de defender e promover os direitos humanos, estivemos, eu e Renata Peron, reunidos com o Ministério Público do Estado de São Paulo para tratar do Caso Verônica Bolina.

Nas audiências, abordamos as violações de direitos de Verônica e protocolamos uma Representação em que solicitamos apuração dos maus tratos e tratamentos degradantes, além da responsabilização dos agentes que agrediram e fotografaram a travesti seminua, exibindo suas imagens indevidamente nas redes sociais.

Entendemos que o Caso Verônica Bolina pode servir para fortalecer a construção de uma nova cultura, pautada pelo pleno respeito das forças de segurança pública aos direitos humanos e identidade de gênero das pessoas travestis e transexuais. Em momento algum deixamos de reconhecer os crimes cometidos pela Verônica, ainda que entendamos que nenhum erro autoriza o Estado e seus agentes a cometerem crimes contra a humanidade, a exemplo da prática de tortura.

É preciso que a violência imposta a Verônica Bolina não fique impune, servindo de exemplo e referência para que outras pessoas não sejam violentadas pelo Estado. Que seus responsáveis, direta ou indiretamente, por ação ou omissão, sejam devidamente punidos!

Somos Verônica! Somos trans e queremos dignidade e respeito!

__________________

Sem títuloBrasil mulher trans despojada, raspada e desfigurada em espancamento policial

……….

 _________________________

….

Com 598 mortes em cinco anos de governo

Dilma, Brasil é o que mais mata travestis e

transexuais no Mundo.

trans

O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo. Entre janeiro de 2011 e janeiro de 2016, durante o governo Dilma Rousseff , foram registradas 598 mortes no país, segundo levantamento feito pelo banco de dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), atualizados diariamente no site https://homofobiamata.wordpress.com/

Proporcionalmente, as travestis e transexuais são as mais vitimizadas: o risco de uma “trans” ser assassinada é 14 vezes maior que um gay, e se compararmos com os Estados Unidos, as 119 travestis brasileiras assassinadas em 2015 em comparação com as 21 trans americanas, têm 9 vezes mais chance de morte violenta do que as trans norte-americanas. Segundo agências internacionais, mais da metade dos homicídios contra transexuais do mundo, ocorrem no Brasil. http://www.transrespect-transphobia.org/en_US/tvt-project/tmm-results/idahot-2015.htm

Transfobia até Quando?  

NUMERO DE TRAVESTIS E TRANSSEXUAIS ASSASSINADAS NO BRASIL DURANTE O GOVERNO DILMA ROUSSEFF (Fonte: Grupo Gay da Bahia)

CapturarCapturar.2

Retirado de Relatórios Anuais – GGB: https://homofobiamata.wordpress.com/estatisticas/relatorios/

_____________________________________________________________________

Após 2 anos presa, transexual agredida em delegacia

de SP é solta pela Justiça

Verônica Bolina foi considerada inimputável por causa de transtorno mental e acabou absolvida de tentar matar idosa e bater em outra transexual, em mulher e em PMs

‘Incapaz’

“Segundo ficou apurado pela perícia ao tempo da ação era inteiramente incapaz de entender o caráter criminoso dos fatos ou de determinar-se de acordo com esse entendimento”, informa trecho da sentença judicial.

alvara-soltura-1

Tortura

Em abril do ano passado(2016), o G1 revelou que a Justiça havia reaberto a investigação policial que arquivou as denúncias de tortura, xingamentos e constrangimento supostamente cometidas por policiais contra Verônica.

A Corregedoria da Polícia Civil voltou a investigar policiais civis por supostos crimes de tortura, injúria e constrangimento ilegal contra a transexual.

A Corregedoria da Polícia Militar (PM) também chegou a investigar se seus policiais agrediram e fotografaram a transexual, mas, assim como o órgão correspondente na Polícia Civil, arquivou o caso. O arquivamento da PM, no entanto, teria sido aceito pela Justiça. A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo disse, por meio de nota, que “a Corregedoria da Polícia Civil informa que está em andamento o inquérito que apura tortura, injúria e constrangimento ilegal, em que policiais são averiguados.”

Fonte: g1.globo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s